Sunday, March 30, 2008

E mais uma!

O nosso Lukinha continua em alta, mais uma capa da SurfPortugal! E que capa meus amigos! Alta foto do Josh numa manobra incrível e para os cépticos digo-vos que rodou completamente e aterrou limpinho! Ainda não estava em Bali com eles na surfada da foto, mas vi as fotos que o Josh tirou e lembro-me perfeitamente desta sequência, uma de duas de aéros reverse brutais do Luca que ele aterrou e em ondas com bom tamanho e power. Pela quantidade e qualidade das fotos que vi, acredito que a reportagem vai estar demais e estou maluco para ver a revista e ler o diário de bordo da viagem escrito pelo Miguel Mouzinho. Foi uma trip à maneira e para além das boas ondas que apanhámos foi, pelo menos para mim, alta descontração e pura diversão. Para os leitores mais recentes deste blog podem ver aqui a minha singela foto-reportagem dessa trip e já agora podem ver aqui a primeira capa do Lukinha na SurfPortugal.

Já lhe disse isto hoje assim que vi a notícia da capa no Surftotal, mas mesmo assim vou repetir: Parabéns puto!!

Tuesday, March 25, 2008

Pristine D-Bah (cont..)

Foto: Joli

Mais uma foto do Saca no mesmo dia das fotos que postei antes. Se o Quiksilver Pro tivesse decorrido na semana anterior aquelas em que decorreu, tinha sido dos melhores campeonatos dos últimos anos em termos de ondas... D-Bah teve os seus melhores dias de sempre e até Kirra despertou por alguns dias e esteve de gala, coisa rara ultimamente. Na semana a seguir foi aquilo que todos vimos, um campeonato com poucas ondas, heats aborrecidos... Foi pena...

É o clássico: "Devias cá ter estado ontem!"...

Friday, March 21, 2008

Força Saca!!

"Tiago Pires (Portugal) pulled some seriously massive moves at Bells and was a little unlucky not to win his heat. He’ll go into round two full of confidence."

Mais uma vez calhou-lhe um mar Totoloto, mas apesar de não ter ganho o heat gostei da atitude. Aquele é o Saca que todos conhecemos e acho que se ele tivesse completado o manobrão da foto na volta até tinha passado, foi animal! Mais uma vez foi um heat com poucas ondas e o Jeremias das Flores controlou do principio ao fim. Apesar da carinha de bebé este puto mostra uma confiança e experiência de um veterano. Acho que vai longe...

Agora no round 2 calha o Adriano de Souza, que travou uma batalha de alto nivel com o Rei Slater no round 1. Vai ser dificil, mas eu continuo a acreditar que é possivel!

Força Saca!!!!!!!!!!

Tuesday, March 18, 2008

Pristine Duranbah

Lembram-se da treta de ondas que o Saca teve que surfar no round 1 em D-bah? Pois foi assim que a mesma praia esteve apenas dois dias antes... Nesse dia até estava em Coolangatta, mas surfei em Snapper que também estava de gala. Mas só quando saí da água e fui espreitar como é que estava D-bah é que percebi que, apesar de ter curtido bem em Snapper, tinha feito a escolha errada... O Fanning e o Deano disseram ter sido o melhor dia de SEMPRE nesta praia. Ponham qualquer coisa no teclado para proteger da baba...

Saca na sala de estar de D-Bah

Fanning bem lá no fundo

Nos dias maiores os bodyboarders dominam D-Bah

Saturday, March 15, 2008

A versão Australiana da Ilha do Paraíso

Tenho mesmo muita saudades da nossa Ilha do Paraíso... as ondas... os amigos da surfada... as bolinhas de berlim... as sangrias do Vasco... as bifas... a travessia sempre ansiosa da ria no barco da carreira... as fogueiras cheias de bom feeling até ao amanhacer... o parque de campismo que me trás tantas recordações... enfim... não há nada como a nossa Ilha de Tavira, que provavelmente arrisco a dizer até terá servido de inspiração ao Camões para a Ilha dos Prazeres dos Lusíadas! Haha!
Mas felizmente aqui bem perto de Brisbane encontrei uma versão bastante próxima da nossa ilha do Paraíso: A Ilha de North Stradbroke ou Straddie prós amigos... Situa-se mesmo em frente a Brisbane e tem como vizinha a ilha de Moreton, uma estação de captura e processamento de baleias nos anos 60 e 70 e é acessével por um ferry que leva carros e que demora cerca de 45 minutos.
Ao contrário da Ilha do Paraíso Algarvia, o surf aqui é extremamente consistente, aliás é dos sítios mais consistentes de toda a costa Este da Austrália. Apesar de ter quase 38km de costa oceânica surfável, os picos mais surfados encontram-se todos na ponta norte da ilha, e os mais conhecidos são a esquerda de Main Beach, um beachbreak virado a Este/Sueste e que apanha tudo quanto é swell e o pointbreak de Cylinders, uma direita que nos seus dias bons dizem ser comparável a Jeffreys Bay, longa, tubular... mágica... Perguntem ao Saca, numa entrevista que li há uns tempos ele dizia ter sido o sítio onde tinha apanhado as melhores ondas na Austrália. E olhem que ele já correu isto de lés a lés várias vezes...
Tive sorte que um dos meus melhores amigos por cá, o Nick, que infelizmente agora vive em Londres, tem uma casa mesmo em frente a Cylinders e cada 6 meses ou assim lá organizávamos um BOSW (Boys Only Straddie Weekend)! Muitas das melhores recordações que tenho da Austrália devem-se a esses fins-de-semana de relax, surf, música, poker, o barbie a bombar grelhados e noites passadas no Straddie Pub, o único spot da night de toda a Ilha, mas que felizmente é muito frequentado por turistas do sexo feminino de países do norte da Europa... e mais não digo...
Outra das cenas bem fixes de Straddie é que é um dos sitios ideais para ver baleias durante a migração pela costa Este, que normalmente acontece em Junho/Julho para a migração para norte a caminho da Grande Barreira de Coral e Setembro/Outubro para a migração Sul em direcção ao Polo Sul e quando elas já trazem as crias. É incrível estar a surfar e a uns 200m ver aqueles seres enormes a saltar espalhando água por todos os lados e a brincar com as crias ou com golfinhos, sempre presentes por estas águas, lindo! Mas também já apanhei uns belos sustos com a vida marinha destas bandas, especialmente com as enormes mantas negras e com tartarugas. Não é lá muito engraçado ver uma mancha negra enorme a passar mesmo por debaixo de ti, especialmente sabendo que Straddie/Moreton é também dos sitios da Austrália com maior número de tubarões tigre e touro. Durante os anos de caça às baleias a população de tubarões nestas águas aumentou exponencialmente, pois os restos das baleias que não eram aproveitados eram lançados ao mar e claro os nossos queridos amigos, com comida com fartura, multiplicaram-se que nem ratinhos. Felizmente já não há caça de baleias, mas mesmo assim as populações de tubarões mantiveram-se elevadas e um dos últimos ataques mortais na Austrália aconteceu precisamente aqui há 2 anos... Mas é melhor não falar muito disso até porque estou a pensar ir lá muito brevemente...

A esquerda de Main Beach a bombar

A direita mágica de cylinders

Outra cena bem diferente de Straddie em relação à nossa Ilha é o crowd, pois é aqui é quase inexistente, apesar de estar bem perto da Gold Coast, onde num dia normal qualquer pico de qualidade tem mais de muitos a lutar pelas. Aqui o crowd é pouco mas não sei porque há muitos surfistas locais a partir a loiça, sendo o melhor exemplo o Bede Durbidge, nascido e criado aqui. Há pouco tempo umas das etapas do circuito Pro Junior Australiano decorreu em Straddie e mesmo com surfistas no campeonato como Julian wilson, Dale Richards, Mitch Coleborn, Matt Wilkinson, etc, quem ganhou foi um puto surfista local, de quem ninguém sequer tinha ouvido falar. Por acaso o surf para esse campeonato esteve de gala, como podem comprovar pelo vídeo em baixo.

video

Mas mesmo assim, não há Ilha como a nossa Ilha...

Thursday, March 6, 2008

Quem me dera ser uma formiga...

Há uns tempos cruzei-me com estas fotos incríveis do Steen Barnes destas ondas que, não fosse o seu tamanho, seriam o cúmulo da perfeicão. Já todos nós, os corredores de ondas, nos deparámos inúmeras vezes com estas visões de um paraíso surfístico em miniatura e nos imaginámos a surfar estas ondas intermináveis. Não é muitas vezes que se encontram pessoas com desejo de ser insectos, mas é exactamente isso que me acontece sempre que vejo estas ondinhas, ser uma formiguinha surfista...
Já agora apreciem o seguinte vídeo do trailer de um filme que ando maluco para ver há já algum tempo, o Liquid Times, e que é simplesmente uma colecção de filmagens destas mini-ondas. Parece demasiadamente simples e aborrecido, mas a verdade é que tanto pelo trailer como pelas opiniões de quem já o viu, parece ser super envolvente e altamente adictivo! Poesia em movimento digo eu...

Sunday, March 2, 2008

Um sábado em boa companhia

Lennox Heads

Saca a aplicar pressão

César "Elastic" Rosa a arriscar uma visita ao fisioterapeuta

Tomás Valente a abrir o leque

João Guedes focado no alvo

Até quase que dá para ouvir o som das quilhas a rasgar... raaahhhhhhhhhhh!

Guedes a mostrar o power do Norte

Joackim Guichard em "A destruição de um lip", brevemente numa revista perto de si.

Saca just chillin'

Luca "Papa-Ondas" Guichard no cutback nº200 na onda nº50

Saca a afinar a técnica para Bells

Joackim a fazer aquilo que sabe fazer melhor: esbanjar estilo e power

Saca a bater nuns dos poucos lips disponiveis para a pancada

Miguel Ximenez cutting back in style

César Rosa numa rasgada mesmo à Saca

Guedes, estiloso em terra e ainda mais na água

Lukinha a soltar o tail e a mostrar o caparro pras meninas

Alain Riou, a espalhar perfume francês nas ondas australianas

Força Saca!

Carlos "Charlie" Pinto, o Mestre da objectiva

As praias de Coolangatta, Snapper/Kirra (Superbank) e Duranbah (D-bah) são em qualquer altura do ano, dizem, os spots com mais crowd do Mundo mas nesta altura do ano, por ocasião do WCT o crowd triplica e ao fim-de-semana então nem se fala... Pois foi por esta razão que o contingente português presente na Austrália, composto pelos manos Guichard, João Guedes, Miguel Ximenez, Tomás Valente e César Rosa, acompanhados pelo fotógrafo Carlos "Charlie" Pinto, pelo film-maker Capristano e aqui pelo amigo Botas, decidiu fazer uma mini-trip em busca de ondas menos concorridas. O Saca tinha dito ao Charlie que o Fanning lhe tinha dito que em Lennox Heads tavam umas ondas boas e com pouco crowd e como é lógico a malta ficou logo cheia de pica. Assim se organizou a caravana tuga a caminho do sul. Lennox Heads é um point break legendário situado perto de Byron Bay, ficando aproximadamente a 100km de Coolangatta. Ora em Portugal estes 100km faziam-se em talvez 45 minutos, mas aqui com o controlo apertado que há nas estradas e com limites de 100km/h na maior parte das auto-estradas, demora-se aproximadamente o dobro... A meio da viagem o Charlie recebe uma mensagem do Saca a dizer que afinal não está assim tão bom... Sem grandes alternativas em vista, por culpa de forte vento Sul, decidimos mesmo assim arriscar e ir até lá.

Afinal até estavam umas ondinhas bastante surfáveis, um pouco molinhas, mas bastante longas, ora não fosse este um dos point-breaks mais longos da Austrália. O crowd era pouquinho e só isso foi logo meio caminho andado para pôr o pessoal todo maluco para entrar. O Saca já lá estava a destruir as ondas, ideais para treinar para Bells. Também estava cheio de pica para surfar, mas decidi tirar umas fotitas para alegrar os fregueses aqui do blog!

As pedras negras e escorregadias do point de Lennox já devem ter feito umas boas centenas de vítimas e desta vez fui eu a juntar-me à lista... Escorreguei e cortei a mão e os pés todos e fiquei a sangrar um pouco. Como por estas alturas do ano, pela água já estar bastante quentinha, não há tubarões brancos por estas bandas, decidi entrar mesmo assim... Surfei umas 2 horinhas rodeado quase só pelos meus conterrâneos, coisa que já não me acontecia há bastante tempo e, tanto pela companhia como pela semelhança do local e da própria onda, até parecia que estava a surfar na minha onda algarvia favorita, um spot semi-secreto que fica ali prós lados da Arrifana, e mais não digo...

Quando enchi a barriguinha juntei-me ao Miguel e ao César, que já estavam na companhia do Charlie e do Capri, e não é que estes gajos me dizem que viram um tubarão de tamanho considerável a rondar o lineup!!! Eu nessa altura estava lá mais para o inside e nem dei por nada, mas pelo vistos várias pessoas viram, inclusivé o Alain Riou que saiu logo em pânico... E não era um golfinho, pois eles viram bem ambas as barbatanas dorsal e caudal, devia ser um tubarão tigre digo eu... Deve-lhe ter dado o cheiro do meu sangue docinho e devia andar à minha procura, o marafado!!! Só de pensar até me dá arrepios... Mas pronto, sobrevivemos e, tirando esse "pequeno" pormenor, foi uma surfada relaxada e até surpreendeu com uns quantos sets com tamanho bem bom e até fiz um tubinho engraçado (mais um chapelinho diga-se a verdade!).

Depois de encher a mula no Subway de Lennox Heads, lá voltamos relaxadamente a Coolangatta. Antes de ir para casa, passámos em D-bah só para checar o mar e claro, os mesmos mil continuavam na luta frenética por uma onda...

Que bela ideia aquela de ir para sul...